Das Borboletas, do Sangue para a Salubridade.. hahaha mesmo?

Das Borboletas, do Sangue para a Salubridade.. hahaha mesmo?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Educação Ambiental, uma baboseira

"E então minha cara, o que você acha do meio-ambiente?"
"Aiii, eu goooosto muuuito do meio-ambiente"
... oO
Bom filha, ainda bem que você gosta do meio-ambiente, porque se não ele não gostaria nada de você!
Porque na União Soviética é assim, não é você que destrói o meio-ambiente, e o meio ambiente que destrói você!

Quanta palhaçada...
Meio-ambiente é tudo, você, eu, nossa relação, nosso meio social, nossa relação vital com o espaço, como o que comemos, o que usamos, o que jogamos fora, onde vamos, como vamos. Dizer que você não gosta do meio-ambiente significa dizer que você não gosta do mundo, nem mesmo de si.
Existe aquela velha concepção do ambiente selvagem, que tem que ser dominado pela civilização, pela racionalidade. Em oposição a selvageria está a etiqueta, que é o certo, mas nada tem relação com respeito.

"A natureza é lá longe, no bosque, na arvore, na floresta, na AMAZONIA! Mas aqui na minha casa não... NÃAAAAAO, aqui eu posso fazer o que eu quiser, tocar o terror, porque se eu proteger as arvorezinhas lá d Amazônia ta tudo resolvido...." BÈEEEEEEEEEEEEEEE WRONG WRONG!

Tudo que fazemos está correlacionado, possui uma motivação e um efeito, que não é sentido apenas por quem o faz, mesmo que estejas sozinho no banheiro e ninguém mais o veja. Nossas idéias, nossas vontades e necessidades são originadas de uma produção social, seja familiar, seja pela mídia, seja pelos amigo, e a forma com que agimos tem muito dessas influências.
Não digo que somos pedaços de amebas que andam por ai de acordo com uma programação pré estabelecida, temos raciocínio sim, grande possubilidade de evolução e mudança, mas já passou da hora de usarmos.. não é? Pensar sobre o que fazemos, como fazemos e as conseguencias disso. Se responsabilizar por isso.

A Educação Ambiental é uma baboseira pois ela existe pela falta de noção do outro, do externo a mim, ela surge do egoísmo, da má educação, do desrespeito, coisas que a mamãe e a vovó sempre disseram. "Respeitar o outro" "não faça com o outro o que não quer que faça contigo", das coisas simples...
A sustentabilidade e a preservação não vão muito além do respeito. Os orientais já trabalhavam essas noções com Confúcio e Sidarta, de respeito ao meio, aos objetos, pois dependemos deles para desempenhar nossas ações e reproduzir nossa vida.


Claro que exagero quando falo que a Educação Ambiental é uma baboseira, pois há muitos fatores que devido a complexidade das relações, ou da manipulação das empresas, governo e mídia, ficamos alheios... e a educação ambiental vem nos auxiliar nestas questões.

Consciência. Pensar no que fazer. Se é realmente necessário. Se não há uma forma mesmo degradante de fazer. O que se pode fazer para mitigar ou compensar os feitos inevitáveis que causamos?
A revolução sempre parte de baixo para cima, nunca ao inverso.
Mudemos nossa forma de pensar e agir.

Ps: E lembrem-se do dia 22: O dia no mundo sem meu carro. Evitem utilizar autos. Desloquem-se pelo transporte público, por bicicletas, ou quaisquer outros meios, para percebermos o quanto o ambiente é tão mais belo sem estas máquinas.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Hoje quase me perdi...

...Talvez amanha eu consiga

E assim até que alguém tente me encontrar...

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Romantismo e a transformação dos tempos...


A imagem daquele galã do cinema preto-e-branco a apreciar aquela linda moça de saia rodada e cabelos ‘chanel’, a imagem do caminhar na praça durante a noite após um jantar a luz de velas ouvindo um clássico ao piano, a imagem de um homem bem vestido e de joelhos frente a mulher que promete amar e respeitar pelo resto da vida...
Não não não, não estou chorando, não por fora, e também não estou “jogando do outro lado”.
Hoje os clássicos modos, o romantismo e a fidelidade são considerados ‘boiolagem’, enquanto VEGETAIS DE SAIA como diz Maurício Ricardo e a traição de parceiras são considerados o ápice de um macho alfa.
Fica a esperança de que o mundo aprenda com os velhos e consiga pela dialética não cometer os mesmo erros. Que as culturas de massa deixem sobrar pelo menos a dignidade e o respeito nas novas gerações.
Evolui então o conceito de homem, que é aquele que respeita sua família e aqueles que lhe querem bem, e cumpre com HOMBRIDADE suas obrigações, pois afinal a função do ‘macho alfa’ não é apenas procriar, mas sim cuidar de toda a matilha, se necessário com a vida, e manter suas postura diante dela.

Para os machões do séc. XXI

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Filtro mental. Parcelo em até 12x sem entrada. Só que eu ainda não comprei um. Será que tem no estoque?

Atenção amigos da Rede Globo!
Estamos no ar maaais uma vez para relatar as barbaridaaades que a mídia comete!

Historicamente registrado, a pior forma de tortura é a psicológica, principalmente quando os manipuladores logram em seus planos, impedindo-nos de inclusive pensar em uma solução. Essa tortura já tornou-se natural.
Não muito aquém do que a ditadura militar aplicava em suas práticas, que para nós parece uma barbárie, mas impedimo-nos de ver a forma com que isso é concretizado hoje seja nas regras de moda, comportamento ou política, que mesmo as formas de contravenção são uma forma de menção a situação (ó rimo!). Lembrando: a rede globo cresceu exponencialmente na época da ditadura (como muitas outras).
“É, eu vi na revista ‘tal’ que (...), então é verdade, se a revista fala, cita os pesquisadores lá!” diz minha vó alegremente confirmando mais uma técnica milenar agora descoberta pelos pesquisadores para evitar o tumor na ponta da unha do dedo da ponta do pé. E o pior de tudo, com convicção, e não, pior ainda! Saber que ela é maioria no país...
Meu amigo(a)... judeus nem comunistas comem criancinhas! Não tanto como os padres católicos. Uma vida sem Deus... como você pode imaginar?... Bom, voltemos ao assunto.
Sobre o capital lograr em impedir a todos de pensar em uma outra lógica sem ser a imposta. Um exemplo: O que você pensa primeiro quando falamos em desenvolvimento do país? Finanças! Evolução material! Que as pessoas tenham mais poder de compra!... Além de isso não ser verdade, pois como no caso chileno que as “poblaciones” em 1973 era MUITO pobres, mto mesmo, e depois de 10 anos, com o BOOM econômico, esse povo ficou MAIS pobre ainda (mas as camadas mais abastadas...), há a questão de não ser a única forma de ver este ponto. Mais exemplos? Brasil, principal país da AMÉRICA LATINA em termos econômicos possui um analfabetismo e miséria gigantesco (além de considerar o piso de renda por família de classe média R$ 1000 e poucos... assim fica fácil ter muita classe média! Lembrando ainda que as necessidades humanas básicas seriam supridas dignamente com o valor de cerca de 2000 reais, calculado oficialmente pelo governo), e o Paraguai, nossos pobres e massacrados vizinhos possuem um analfabetismo zero (e os não analfabetos de lá com certeza saber fazer mais do que “desenhar” o próprio nome).
“Tragédia? Não, doença cara!” como diria meu amigo Gabriel Pensador.

Por fim, depois de tantos devaneios confusos e irritados, termino por recomendar-lhes que ao invés de ir para televisão,a acessem o site desenvolvido pelo Governo Federal de incentivo à cultura, uma verdadeira relíquia! www.dominiopublico.gov.br

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Em homenagem ao meu amigo Xucrutão


Para descontrair um pouco! Há de se salvar os pobres animaizinhos... hahahhahah



video

Algo (do) além

"Soneto de separação


De repente do riso fez-se o pranto

Silencioso e branco como a bruma

E das bocas unidas fez-se a espuma

E das mãos espalmadas fez-se o espanto


De repente da calma fez-se o vento

Que dos olhos desfez a última chama

E da paixão fez-se o pressentimento

E do momento imóvel fez-se o drama


De repente, não mais que de repente

Fez-se de triste o que se fez amante

E do sozinho o que se fez contente


Fez-se do amigo próximo, distante

Fez-se da vida uma aventura errante

De repente, não mais que de repente"

Vinicius de Moraes



Encontrei este texto em um antigo livro de gramática que a velha "tia cocóta" usara para me ensinar gramática. Pelo visto vi algo mais. E você? Se propõe em ver além do dado? Se propõe a mudar?

Fez-me recordar também de quão importante é o ensino, e a aprendizagem de todos os dias...

Fora com a estática, CADEIRADA NELA!

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Hã... sofrimento?

"Ergam seus copos por quem vai partir
Longo será o caminho a seguir
Nada será como costuma ser
Nada vai ser fácil pra você

Não faça o mesmo que fez o seu pai
Não leve armas lá onde vai
Tantos eu já vi pagando pra ver
Não dá tempo de se arrepender
Nada que já não deva saber
Não há nada que não possa ter

Quero que a estrada venha sempre até você
E que o vento esteja sempre a seu favor
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão
E que esteja ao seu lado seu grande amor

Eu me despeço de todos vocês
Muitos aqui não verei outra vez
Fora o inverno e o tempo ruim,
Eu não sei o que espera por mim
Mas pouco importa o que venha a ser
Se eu tiver um dia a quem dizer

Quero que a estrada venha sempre até você
E que o vento esteja sempre a seu favor
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão
E que esteja a seu lado seu grande amor"

Matanza - Tempo Ruim


Homens bons por natureza.(mas não o bastante?)
O tempo que é ruim.(mas um dia foi bom?)
O caminho futuro que é longo.(mas e o passado?)
Irrevogável é a vontade.
Mintira a minha.
[Por mas que haja controvérsias, essa música me traz felicidade.]